CENAS FETICHISTAS MAIS MARCANTES DO CINEMA

Como todo mundo já sabe, estreia nesta quinta-feira (12) no Brasil o aguardado filme 50 Tons de Cinza, baseado no best-seller homônimo de E.L. James. E também é de conhecimento geral o território no qual a obra transita: o fetichismo sexual. Livro e filme contam o envolvimento entre uma estudante, Anastasia Steele, e um poderoso empresário, Christian Grey. A relação entre eles é sadomasoquista, com a moça virando objeto do magnata, submissa e escravizada.
Mas desde quando isso é novidade no cinema? A sétima arte sempre gostou de retratar relações amorosas-sexuais com tintas fetichistas, perigosas, bizarras e chocantes. Vários filmes viraram clássicos, apoiados muitas vezes no escândalo provocado, em outras turbinados pela qualidade artística.
Se você duvida, tem memória curta ou acha que 50 Tons de Cinza é a grande inovação no gênero, prepare o fôlego, esqueça os pudores e mergulhe na galeria a seguir

A História de O
A História de O é um conhecido livro francês publicado em 1954, que virou filme em 1975, gerando uma continuação em 1984.

O Porteiro da Noite
O filme italiano O Porteiro da Noite, de 1974, causou muita polêmica por misturar sexo com nazismo: 13 anos depois da 2ª Guerra, uma mulher que viveu em um campo de concentração reencontra seu torturador, um ex-oficial nazista.

O Império dos Sentidos
O Império dos Sentidos (1976), do diretor japonês Nagisa Oshima, marcou a década de 70 com a intensa relação entre uma ex-prostituta e seu chefe. O final é antológico.

O Último Tango em Paris
O ex-símbolo sexual Brando, na época com quase 50 anos, protagoniza várias cenas surpreendentes ligadas a fetiches sexuais.

Eu Te Amo
Uma variação brasileira do Último Tango é o filme Eu Te Amo, de Arnaldo Jabor, de 1980. Ali, também um casal de desconhecidos (Paulo César Pereio e Sonia Braga) vive uma tempestuosa relação sexual, trancados num apartamento.

9 1/2 Semanas de Amor
Com direito a strip tease provocante de Kim Basinger, devidamente assistido por Rourke.

A Dama do Lotação
Voltando à Sonia Braga, a atriz também protagonizou outro clássico fetichista: A Dama do Lotação (1978), baseado em Nelson Rodrigues, vivendo a mulher casada que só transa com homens estranhos em locais insólitos, como cemitério, matagal, ônibus…

A Bela da Tarde
As sequências dos sonhos da personagem envolvem fetiches e referências oníricas que até hoje encucam o público.


As Idades de Lulu
Mais uma esposa que resolve se entregar ao sexo desenfreado: a protagonista (Francesca Neri) de As Idades de Lulu (1990), do espanhol Bigas Luna.

Corpo em Evidência
Nos anos 90, as mulheres fetichistas do cinema deixaram de ser esposas: viraram mulheres livres, autônomas e perigosas, como Madonna em Corpo em Evidência (1992).Com a famosa sequência em que tortura Willem Dafoe com cera quente, entre outras traquinagens.


Instinto Selvagem
Ou ainda outra loira, Sharon Stone, em Instinto Selvagem (1992), com a cruzada de pernas mais famosa do planeta.

Parceiros da Noite
Falando no universo gay, temos Parceiros da Noite (1980), onde Al Pacino é um detetive que penetra em um bar gay SM para investigar um serial killer que mata homossexuais.

Um Ano Sem Amor
O argentino Um Ano Sem Amor (2005) mostra um escritor soropositivo que se entrega a práticas fetichistas, como escravo.

8 mm
Nicolas Cage e Joaquim Phoenix investigam crimes cometidos nos bastidores dos snuff movies – filmes pornôs onde mortes reais acontecem. Foi em 8MM (1999), de Joel Schumacher.

Crash Estranhos Prazeres
Mas em termos de fetiches inusitados, talvez o prêmio vá para David Cronenberg com Crash Estranhos Prazeres (1996), onde os personagens transam em meio a acidentes de carro.

Ninfomaníaca
Mais recentemente, Lars Von Trier veio com seu épico SM Ninfomaníaca, com Charlotte Gainsbourgh se entregando aos fetiches.

Saló 120 Dias de Sodoma
Porém vai ser difícil alguém superar Pier Paolo Pasolini com seu Saló – 120 Dias de Sodoma (1976), filme derradeiro do diretor italiano, assassinado logo depois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tire suas dúvidas



Topo